segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Vaierah: Sarah e um costume antigo.


 
 
A parashah de Vaierah compreende o texto de Gn 18:1 a Gn 22:24.

A imagem acima fala por si só, e retrata uma algo muito inerente ao ser humano: a curiosidade. É interessante observar como as pessoas são curiosas em relação à vida alheia; por isso mesmo, programas de tv como o Big Brother e revistas de fofoca fazem tanto sucesso.

O problema, que nem sempre percebemos, é que ficar “cuidando” da vida dos outros, acaba levando a uma série de outos erros. Vejamos por exemplo Sarah:

Abraão tinha recebido três homens, Sarah os viu, pois Abraão havia dito a ela para preparar alguns alimentos aos visitantes. Daí, a certa altura da conversa, perguntaram ao patriarca: Onde está Sarah? Abraão responde: Ela está na tenda..

A questão é que ela estava na porta da tenda sim, ouvindo a conversa alheia. Ainda que a conversa fosse sobre ela, ela não deveria estar ali. Esse é o erro de boa parte das pessoas. Ficar ouvindo conversas atrás da porta, mesmo com a justificativa de que: “estavam falando de mim, eu tenho o direito de ouvir” é errado. Como dito, isso conduz a uma série de erros, ou mal-entendidos. Vejamos Sarah:

Ela ouviu atrás da porta, e nao acreditou no que o anjo falava a Abraão, de que ela teria um filho. Riu disso. Mas alguém dirá, onde estão os erros?

- Ela ter se rido, significa que não acreditou no anjo, meio que achou graça, como se fosse piada.

- Falou mal de si e de seu esposo, chamando-o de velho (incapaz de gerar filhos)

- Negou que havia rido, ou seja, mentiu.

Não é necessário ficar atrás da porta par ter atitude semelhante à de Sarah. Há pessoas que utilizam de outras artimanhas pra saber qual o assunto da conversa em particular entre duas ou mais pessoas. Então, pra não ouvir atrás da porta (porque isso é feio) a pessoa inventa de levar uma água pro rosh, trazer uma bolachinha, um lanchinho, e assim, acha que “fazendo o bem” ninguem vai se dar conta de que na verdade ela entrou pra escutar um pouco da conversa. E essa atitude é ainda pior do que ouvir atrás da porta. Pior o fato de que quem ouve metade da conversa, sabe metade do assunto, e isso a leva a deduzir o restante, quase sempre, deduzindo errado.

Resista à curiosidade de ouvir conversas alheias, mesmo que estejam tratando de assuntos referentes a você. Se você tomar parte na conversa, resista a vontade de sair contando do assunto pra todo mundo que encontrar pela frente. Mas se ainda assim, isso ocorrer, assuma a responsabilidade por seu erro. Sarah falou: eu não ri. E ouviu como respostas: Isso não é correto, você riu sim!

Parta do principio de que “se eu não fui chamado na conversa, é porque ela não me diz respeito.” Assim, vamos todos evitar constrangimentos desnecessários.

2 comentários:

Michael Ben Avshalom disse...

Shalom Alecha Rosh!! Muito boa a mensagem!!

Michael Ben Avshalom disse...

Muito bom os detalhes!!